Editorial

Nas conversas dos antigos o Pontão das Vinhas, é descrito como o sítio, de onde saia o belo néctar báquico. Hoje do sítio resta o nome, a vinha há muito que foi arrancada. Nesta Terra de apreciadores do precioso liquido, este sitio, obra de um grupo de carolas, transporta para a rede o espírito de uma vila milenar, outrora berço de grandes “pomadas” e episódios marcantes na História de Portugal.
Este espaço pretende ser um ponto de encontro de veirenses (e não só), acima das diferenças politicas, futebolísticas, de cor, credo, ou género. Um Sitio para os amantes do vinho, sem pedantices, ou preciosismos técnicos, onde todos são bem vindos.
Todos os produtores que queiram ver uma prova dos seus vinhos, contacte com: pontaodasvinhas@gmail.com
Myspace Layouts

segunda-feira, 21 de Novembro de 2011

Segunda Prova às Cegas II




















Este ano por sugestão do Paulo Caldeira, com a colaboração do Adélio Cunha, a prova foi mesmo completamente às cegas, ninguém sabia que vinho estava a provar, nem quem era o portador de tal néctar. Um modelo de prova que deve permanecer para as próximas, pois tornou o evento muito mais enriquecedor.
Posto isto vamos aos néctares. Primeiro há que referir que houve algumas grandes surpresas, vinhos injustiçados e outros acima do que seria de esperar. Por outro lado à semelhança da primeira prova, não vou pontuar os néctares, ficando-me por umas notas de prova mais telegráficas, procurando sintetizar as opiniões do grupo.

Quinta do Mouro Rótulo Dourado Alentejo 2006 - Levado pelo Paulo Caldeira. Foi o vinho mais injustiçado da noite. Há três semanas deu-me um tremendo prazer no Encontro com o Vinhos e Sabores. Na prova pareceu-me um bom vinho muito fresco e jovem, a precisar ainda de garrafa, taninos respigados ainda, com uma longa vida pela frente na garrafa. Em algumas fases da prova, pareceu-me mais um Dão que um Alentejo. Um belo vinho, mas não foi consensual.

Solar de Lobos Grande Escolha Alentejo 2008 - Levado pelo Luis Paínha. Côr muito carregada, aroma intenso, muita fruta madura na boca, bastante estruturado, complexo, alguma adstrigência, termina fresco, fino e elegante. Um dos grandes vinhos da noite sem dúvida.

Irony Merlot Napa Valley Califórnia 2008 - Levado pela minha pessoa. Cor bonita, interessante no nariz, taninos muito finos, adocicado, leve, apesar dos 14,5º um vinho diferente, agradável, mas curto na boca.

Callabriga Douro 2007 - Levado pelo Francisco Beirão. Muito carregado na côr, cheio de força, aroma intenso, fruta vermelha bem embrulhada na madeira, complexo e cheio de garra na boca, foi evoluindo durante a prova, sempre para melhor. Outro dos grandes vinhos da noite.

Quinta do Crasto Vinhas Velhas 2007 Douro - Levado pelo Helder Caldeira. Grande ataque no nariz, fruta, tosta, algum caramelo e uma elegância desconcertante, grande volume na prova de boca, jovem cheio de garra, acetinado, fruta de grande qualidade em casamento com classe e sofisticação. O vencedor da noite. Um vinhão!

Casa da Capela Reserva Castelão & Syrah 2007 Terras do Sado - Levado pelo Gabriel Perleques. Estranhamente floral no nariz, cheio encorpado e muito guloso na boca, carnudo, com um final agridoce, num registo Novo Mundo. Um bom vinho.

Phebus Malbec 2008 Argentina - Levado pelo António Caldeira. Cor carregada, o registo olfactivo a apontar claramente para o Novo Mundo, confirmando-se na boca, redondo, encorpado, adocicado e acetinado. Um tinto que proporciona uma prova muito agradável e pede uma carne grelhada por perto.

Quinta do Mouro 2006 Alentejo - Levado pelo Duarte Silva. Cor carregada. O nariz inicialmente fechado, abre em notas de cola e tosta. Na boca está um belo tinto, fruta e taninos finos num primeiro momento, evoluindo para um registo mais complexo, num perfil alentejano. Um belo tinto.

Terra de Zambujeiro 2006 Alentejo - Levado pelo Zé Eduardo Pereira. Outrora um vinho potente, fez uma excelente evolução. Nariz muito alentejano, suave, alicorado, intenso. Marca uma grande presença na prova de boca. Ameixas em calda, alicorado, intenso e clássico. Uma delicia.

Vinho Surpresa - Altas Quintas 2004 Alentejo - Levado pelo António Caldeira. O portador do néctar antes de o servir , lançou a questão aos presentes: "Será que os vinhos alentejanos conseguem evoluir com nível?" A resposta não podia ser mais afirmativa. Muito interessante, jovem ainda na côr. Cheira a Alentejo e dá-nos uma boca suave, elegante e fina. Bela malha!

Porto d´Alva LBV 2005 - Levado pelos manos Caldeira (Helder e Paulo) Excelente relação preço qualidade. Jovem fino e assente na fruta. Deu um grande prazer à mesa. Foi literalmente "sugado" em minutos.

Mas como a malta não estava satisfeita, ainda se beberam duas garrafas de Herdade das Servas Escolha tinto, para tapar os grelhados, que aterraram na mesa.

Mais uma grande noite enófila. Amizade convívio e boa conversa à volta do Vinho. Que venha a próxima.

Segunda Prova às Cegas.










Volvido mais de um ano desde a nossa última prova, finalmente conseguimos reunir o pessoal, para mais um momento de comunhão enófila. Houve algumas ausências de peso, o Miguel Carola, o Domingos Cunha, o Carlos Paínha, por motivos variados não puderam comparecer. O Gabriel Perleques e o Luis Painha, estrearam-se nas lides.
Foi mais uma tarde bem passada entre amigos e belissimos néctares, com uma botelha por participante, ainda houve oportunidade para degustar um vinho surpresa trazido pelo António Caldeira, e um belo Porto d' Alva LBV 2005 trazido pelos manos Caldeira (Hélder e Paulo)
A prova decorreu no Restaurante O Nicolau, em que contámos com o bom serviço do gerente, o amigo Adélio Cunha, que além de nos preparar um belo repasto, ainda nos prestou algum auxílio "técnico". pelo que expressamos o nosso obrigado. Em relação aos vinhos provados, podemos dizer que o nível médio continuou alto. Provaram-se belas pomadas e houve grandes surpresas, que serão descritas no próximo post.

sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

Conde de Palma 2006










Região: Alentejo, Vinho Regional.

Produtor: Herdade do Monte da Cal.

Castas: Trincadeira, Aragonês e Alicante Bouschet.

Alc: 13,5º

Preço: 5,95€ (com a Revista de Vinhos)

Nota de Prova: 16


Um alentejano de bom recorte composto, pela triologia "clássica" de castas da região.
Côr média. Muito suave no nariz, frutado e abaunilhado. Na boca o equilíbrio é a nota dominante, corpo médio, suave, saboroso, boa acidez, num registo muito gastronómico.

terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Callabriga 2004







Região: Douro DOC

Produtor: Sogrape.

Castas: Não mencionadas.

Alc: 13,5º

Preço: 14€

Nota de prova: 17

Uma cor bonita incrivelmente jovem. No aroma mantem-se a juventude com a fruta ainda a dominar a madeira. Na prova de boca revela-se um belo tinto, cheio na boca, bom corpo, taninos polidos, notas de alguma compota, cerejas, boa acidez num excelente equilibrio. Termina longo e intenso.

domingo, 6 de Novembro de 2011

Encontro com o Vinho e Sabores 2011





Pelo segundo ano o Pontão das Vinhas esteve presente naquele que é o evento de excelência, para os enófilos nacionais. Bem divulgado e organizado, saimos sempre da Junqueira com o desejo de voltar para o próximo ano.

Eis alguns dos vinhos que mais impressionaram:

Francisco Nunes Garcia Reserva 2008: Muito fresco e complexo.

António Maria 2008: Um portento.

Mouchão 2006: Garra e carácter.

Outeiro 2009: Denso e explosivo.

Pintas 2009: Um grande Douro.

Quinta da Manoela 2009: Uma raridade, daqui a 3,4 anos um vinhão.

Chryseia 2009: Elegância, finesse, uma pérola.

Charme 2009: Um Douro feito de elegância.

Robustus 2007: Um assombro na prova de boca.

Quinta do Vale Meão 2009: Simplesmente divino. Talvez o melhor tinto provado.

Quinta do Mouro Rótulo Dourado 2006: Força, frescura e elegância invulgares no Alentejo.

Quinta do Mouro Rótulo Dourado 2007: Carácter e intensidade, um vinho único.

Esporão Private Selection 2009: Denso, compotado, taninos compactos, elegância e personalidade.

Virgo 2009: Fresco frutado, uma excelente surpresa da Torre de Frade.

Herdade dos Grous 23 Barricas: Jovem, vibrante e exuberante.

Quinta da Leda 2008: Fino, elegante e equilibrado.

Parus branco 2010: Antão Vaz cheio de frescura.

terça-feira, 1 de Novembro de 2011

Bétula 2010



Região: Douro (Vinho Regional Duriense)

Produtor: Catarina Montenegro C.M. Santos

Castas: Sauvignon Blanc (50%) Viognier (50%)

Alc: 12,5º

Preço: O PVP aconselhado pela produtora, varia entre 12€ e 15€ (A amostra em prova, foi gentilmente enviada pela produtora)

Nota de Prova: 16,5


Este néctar é um factor de novidade numa região clássica como o Douro, feito com duas castas "internacionais" em partes iguais, sendo o Viognier fermentado em madeira e o Sauvignon em inox.
Apresenta uma cor palha, com bonitos tons dourados. No nariz o impacto é afirmativo, com notas de erva, fruta branca e frutos tropicais, num registo muito convidativo. Na prova de boca a fruta está bem presente, com a barrica discreta, lá no fundo a dar complexidade e alguma sofisticação, de novo a fruta tropical em grande estilo, amparada por uma boa acidez, com um ligeiro toque melado, sempre numa toada de grande equilíbrio.

sábado, 29 de Outubro de 2011

Altano Reserva 2007






Região: Douro DOC

Produtor: Symington Family Estates.

Castas: Touriga Nacional e Touriga Franca.

Alc: 14º

Preço: 10€

Nota de prova: 16,5

Bonita côr granada, com rebordo violeta. Nariz muito atractivo, cereja, frutos vermelhos num fundo bem especiado. Na boca confirma as boas impressões, um tinto sério, com alguma austeridade, muito composto que evolui na parte final, num registo concentrado de fruta, com um final especiado. Um belo tinto, sem ser um topo de gama demonstra bem aquilo que o Douro tem para nos oferecer: Fruta, complexidade, elegância. Uma delicia.


terça-feira, 25 de Outubro de 2011

Altas Quintas 2006






Região: Alentejo, Vinho Regional.

Produtor: Altas Quintas.

Castas: Aragonês, Trincadeira e Alicante Bouschet.

Alc: 14,5º

Preço: Oferta do mano Nix, mas deve andar pelos 20€.

Nota de Prova: 17

Este belo néctar do norte Alentejo, aparece com uma bonita côr granada, ainda muito jovem. O nariz inicialmente é intenso, quase agressivo, caixa de fósforos, álcool, tosta, "acalmando" depois em notas compotadas de fruta vermelha. Uma prova de boca invulgar. Primeiro parece que estamos na presença de um vinho do Dão, fino, elegante e de boa acidez, evoluindo depois para as suas raizes alentejanas, mas sempre com uma frescura desarmante, que o torna diferente.

domingo, 23 de Outubro de 2011

Bons Sinais 2010






Região: Alentejo DOC.

Produtor: Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito.

Castas: Alfrocheiro, Aragonês, Castelão e Trincadeira.

Alc: 14º

Preço: 4€

Nota de Prova: 15,5

Mais um tinto da Vidigueira. Côr de média concentração, no nariz a fruta está inicialmente escondida, mas depois do vinho respirar, aparece com notas de ameixa, compota e alguma framboesa, na prova de boca, surge redondinho, com fruta em rebuçado, medianamente fresco, num registo muito agradável e honesto. Uma aposta segura.

sexta-feira, 21 de Outubro de 2011

Blume 2009






Região: Rueda Espanha.

Produtor: Pagos del Rey.

Castas: Verdejo.

Alc: 13º

Preço: 4€

Nota de prova: 15

E para variar, em jeito de despedia do Verão, eis um branco.
Côr limipida, no nariz, agradável fruta tropical, algum citrino, volumoso na boca, com o registo frutado, cortado por uma boa acidez, terminando com ligeiro ardor. Um branco de Espanha, honesto e a preço acessível

quarta-feira, 19 de Outubro de 2011

Terras do Crato 2007






Região: Alentejo, Vinho Regional.

Produtor: Gonçalo Sá da Bandeira.

Castas: Aragonês, Trincadeira Merlot e Cabernet Sauvignon.

Alc: 14,5º

Preço: 3,79€

Nota de Prova: 15,5

Cor muito carregada. Boa intensidade no nariz, maduro e apelativo. Na boca surge redondo, convidativo, num estilo directo, suave, com acidez correcta e bom corpo, nota-se um toque vegetal, bem envolvido pela fruta madura. Termina picante, com ligeiro ardor, num registo muito "novo mundo".

segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

Vidigueira Grande Escolha 2008






Região: Alentejo DOC.

Produtor: Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito.

Castas: Trincadeira e Aragonês.

Alc: 14º

Preço: 8€

Nota de prova: 16,5.

Cor média, nariz muito agradável, tosta, fruta de boa qualidade, suaves e atractivas notas de ameixa. Muito bem estruturado na boca, redondo, num registo compotado, mas com acidez correcta, um final muito longo e cheio de raça alentejana. Um tinto alentejano com "A" grande, sem modas ou facilitismos, com uma bela qualidade e um final de boca que deixa saudades. O Alentejo necessita urgentemente de vinhos assim, sob ameaça de perder a sua identidade.

sábado, 15 de Outubro de 2011

Terra Plana 2006






Região: Alentejo, Vinho Regional.

Produtor: Herdade do Monte da Cal.

Castas: Não mencionadas.

Alc: 13º

Preço: 3,59€

Nota de Prova: 15,5


Cor granada, bonita. Nariz muito atractivo, com fruta de boa qualidade e alguma especiaria. Na boca muito equilibrado, suave, agradavelmente frutado e com acidez correcta.

quinta-feira, 13 de Outubro de 2011

Caves de Santa Marta Reserva 2005






Região: Douro DOC.

Produtor: Caves de Santa Marta.

Castas: Touriga Franca 50%, Touriga Nacional 25%, Tinta Roriz 25%

Alc: 13º

Preço: 3€

Nota de Prova: 14,5

Um douro simples, mas bem feito. Luminoso na côr, inicialmente fechado no nariz, com algumas notas de mato seco, fruta discreta. Na prova de boca temos um tinto redondo. cálido, com uma certa secura final

terça-feira, 11 de Outubro de 2011

Terras de Estremoz Colheita Seleccionada 2007





Região: Alentejo, Vinho Regional.

Produtor: Vinhos D. Joana.

Castas: Touriga Nacional, Aragonês e Touriga Franca.

Alc:14º

Preço: 5€

Nota de prova: 15,5


Um belo tinto de combate alentejano, que por um preço cordato, dá imenso prazer a beber. Curiosamente tem o registo de castas, mais duriense que alentejano, já que o "nosso" Aragonês é a Tinta Roriz do Douro. Apresenta uma côr média, um nariz muito atraente a fruta fresca. Na boca é sumarento fresco e guloso, daqueles vinhos, que valem o dinheiro que se paga por eles. Pode ter pouco carácter alentejano, mas é uma delicia esta receita duriense.